sexta-feira, 22 de abril de 2016

Diagnostico diferencial da TVP

A maioria das tromboses venosas na sua fase inicial não apresentam sintomas (são assintomáticas), muitas vezes o primeiro sinal de que a pessoa está com trombose venosa é a embolia pulmonar (em alguns casos o trombo inteiro ou um fragmento dele se desprende e “viaja” na circulação venosa até atingir o pulmão, provocando falta de ar e até a morte).

Como o local mais frequente das tromboses venosas são as pernas o paciente pode apresentar: inchaço, dor no músculo, musculatura endurecida, diferença de volume de uma perna em relação à outra, pé um pouco arroxeado e, às vezes, perna mais quente. O diagnóstico clínico é extremamente difícil, quando há suspeita desta doença há a necessidade da realização de exames complementares.

sexta-feira, 15 de abril de 2016

Mobilização do paciente com TVP fazer ou não?

Ao se deparar com um paciente com o diagnóstico de TVP o fisioterapeuta deve iniciar a anamnese tentando coletar todos os dados e informações (doenças prévias e medicamentos em uso) relacionadas ao evento em questão assim como sinais e sintomas. Com estes dados será possível identificar os fatores de risco para a TVP e a possível causa da mesma.

Partindo para o exame físico devemos avaliar a presença ou ausência de pulsação comparando o membro acometido com o não acometido, edema, cor do membro, sinais e sintomas de inflamação, grau da dor e mobilidade.
Em casos de TVP, a dorsiflexão passiva de tornozelo causa dor referida na panturrilha em cerca de 60% dos casos, o chamado Sinal de Homans.

sexta-feira, 8 de abril de 2016

Principais fatores envolvidos no desenvolvimento da TVP-parte 2

Câncer e quimioterapia: o desenvolvimento da trombose venosa profunda está mais frequentemente relacionado a cânceres de mama, cérebro, pulmão, pâncreas e intestino, sendo o risco de morte maior nos pacientes com esta associação dos que apresentam câncer sem apresentarem trombose venosa. Além disso a trombose pode ser o primeiro sinal de um câncer que ainda não tenha se manifestado ou diagnosticado (Síndrome para neoplásica), sendo necessário em determinados grupos a suspeita e investigação de câncer oculto. Alguns quimioterápicos podem adicionar o risco de desenvolvimento de trombose.

Traumatismos graves: esta condição esta relacionada a múltiplos fatores como: mecanismo do trauma, imobilidade, quais regiões foram acometidas, fraturas associadas, presença de infecção associada, cirurgias realizadas, etc.

sexta-feira, 1 de abril de 2016

Principais fatores envolvidos no desenvolvimento da TVP - Parte 1

Idade: este é um fator muito relevante, os indivíduos acima de 40 anos apresentam um aumento significativo de trombose venosa profunda em relação aos mais jovens, havendo um risco ainda maior à partir dos 60 anos.

História prévia de trombose venosa profunda: pacientes que apresentaram trombose venosa sem causa aparente (idiopática) e aqueles que tem fatores de risco permanente (exemplos: câncer e síndrome do anticorpo antifosfolípide) tem uma maior chance de ter novos episódios do que aqueles que apresentaram trombose com fatores transitórios (exemplos: imobilização e cirurgias não relacionadas com câncer). Há estudo evidenciando um risco oito vezes maior nos indivíduos que já apresentaram trombose em relação aos que nunca apresentaram quando colocados em alguma condição de risco (exemplo: cirurgia).

quinta-feira, 24 de março de 2016

Condições favoráveis para formação de coágulos

Algumas condições congênitas e adquiridas que facilitam a formação de coágulos (trombofilias):


  • deficiência da antitrombina, 
  • deficiência da proteína C e S, 
  • Fator V Leiden, 
  • mutação do gene da protrombina (G20210A), 
  • elevações dos níveis plasmáticos de fibrinogênio, fator VIII, fator IX, fator XI, hiper-homocisteinemia e 
  • síndrome do anticorpo antifosfolípide. 


Trombose: Inimiga Silenciosa

VOCÊ SABIA QUE A TROMBOSE É UMA......
Inimiga silenciosa

A TVP com frequência não dá sinais de alerta e por isso pode passar desapercebida. É comum só ser descoberta frente a uma grave complicação da doença. Por esse motivo anualmente a Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular (SBACV) tem lançado uma campanha nacional de esclarecimento da TVP. O objetivo é levar informação clara e objetiva à população de modo a conscientizá-la da gravidade da doença e da necessidade da adoção de medidas preventivas.

Segundo os dirigentes dessa Sociedade de Angiologia uma das armas para se prevenir a doença é a divulgação de informações à população. Devido às variáveis que envolvem o diagnóstico da TVP, a participação do paciente questionando e buscando orientação médica é fundamental para um perfeito entendimento do problema. Essa troca de informações possibilita ao especialista adotar medidas de prevenção da doença e fará com que um "paciente de risco tromboembólico" se sinta mais seguro frente à conduta médica que terá que seguir.

quinta-feira, 17 de março de 2016

Mitos e Verdades sobre Trombose

É MITO OU VERDADE??

Só idosos têm esse problema

Mito. A trombose venosa - aquela que acomete principalmente os membros inferiores – costuma aparecer em pessoas jovens, com idades entre 20 e 40 anos.

Varizes levam à trombose

Verdade. Mas isso não é uma regra. A VARIZ é uma veia dilatada na qual o sangue circula mais lentamente, o que favorece a coagulação. E é quando um coágulo impede o fluxo sanguíneo que ocorre a trombose.

Pílula + cigarro dão trombose

Verdade. Essa dupla é uma bomba-relógio, já que ambos elevam o risco do problema. O anticoncepcional, por ser composto de hormônios como estrogênio e progesterona, contribui não só para a formação de coágulos, mas também para que as paredes das veias fiquem mais dilatadas (o que abre portas para as varizes). Já o cigarro contém substâncias que são pró-coagulantes.

quinta-feira, 10 de março de 2016

Vamos falar de forma pratica o que devemos saber sobre a trombose - Parte II

Por que as pessoas desenvolvem a Trombose? 

Determinadas pessoas possuem fatores de risco genético, que são as Trombofilias. Existem também fatores externos que desencadeiam Trombose:

  • Idade (maior de 40 anos); 
  • Obesidade, indivíduos que já tiveram trombose, imobilização (Indivíduos confinados na cama, em casa ou no hospital por alguma doença); 
  • Câncer, insuficiência cardíaca, infarto do miocárdio, gravidez, uso de anticoncepcional, infecção e doenças que causam alterações da coagulação (de causa genética ou adquirida). 

Além disso, as cirurgias são consideradas um dos fatores mais importantes quando as de grande porte e de longa duração (ex.: cirurgias ortopédicas e abdominais).

Quais são os sintomas da Trombose? 

Os sintomas mais frequentes da Trombose Venosa Profunda são: Dor intensa, inchaço e endurecimento do músculo da perna com aumento de temperatura.

quinta-feira, 3 de março de 2016

Vamos falar de forma prática o que devemos saber sobre a trombose - Parte I


O que é Trombose Venosa Profunda


Esta é uma doença causada pela coagulação do sangue dentro das veias com a formação de um trombo. É mais freqüente ocorrer nas veias das pernas e coxas, provocando uma reação inflamatória do vaso. Uma vez formados os trombos (sangue coagulado) nesses locais, eles podem migrar e ir até os pulmões levando ao tão temido tromboembolismo pulmonar, que felizmente é raro.

O que causa a Trombose Venosa? 


A causa da Trombose Venosa está relacionada a três fatores: