sexta-feira, 22 de julho de 2016

EXAMES DE IMAGEM MAIS IMPORTANTES PARA A TVP

IREMOS SEMPRE ATUALIZAR NOSSOS SEGUIDORES SOBRE AS NOVAS DIRETRIZES DA TVP - 2016

Eco Doppler colorido (EDC)

O EDC venoso é o método diagnóstico mais frequentemente utilizado para o diagnóstico de TVP em pacientes sintomáticos. Apresenta menor acurácia em veias distais, em veias de membros superiores, e em pacientes assintomáticos. É o exame de escolha para o diagnóstico de TVP, com sensibilidade de 96% e especificidade de 98- 100%, em substituição à venografia. Utiliza-se a ultrassonografia em tempo real para avaliar a ausência ou presença de compressibilidade das veias e a ecogenicidade intraluminal. O EDC avalia a anatomia, a fisiologia e as características do fluxo venoso, combinando imagem em tempo real e a análise espectral. A acurácia do EDC para diagnosticar TVP assintomática é menor em relação à TVP sintomática.

sexta-feira, 15 de julho de 2016

Benefícios da terapia de compressão

Os cuidados devem ser diários, e sempre observado de perto pelos seus médicos!!

Segundo Brandjes DP et. Al. Lancet 1997 e o Estudo da Associação Americana de Saúde Pública, o risco de desenvolvimento de síndrome pós-trombótica inclui inchaço nas pernas, dor e úlceras venosas após TVP é reduzido em até 50% com o uso de meias de compressão médicas.

O uso de meias SIGVARIS de compressão graduada ajuda a reduzir o risco de TVP ao melhorar o retorno do sangue venoso. A SIGVARIS se orgulha em fornecer produtos que oferecem um ajuste confortável e a força de compressão recomendada pelo seu médico.

Tratamento da trombose venosa profunda

O tratamento de uma trombose venosa profunda consistirá na prescrição de medicamentos anticoagulantes e no uso de meias médicas de compressão SIGVARIS 20-30 mmHg. Isto eliminará os sintomas rapidamente e de forma duradoura, e permitirá manter-se ativo e realizar as atividades da vida diária. Ambos os componentes do tratamento durarão por semanas ou meses. A terapia de compressão é a aplicação de pressão externa graduada controlada no membro para reduzir a pressão venosa dentro do mesmo. Esta pressão externa atua como uma camada muscular ao pressionar suavemente as paredes distendidas das veias ao mesmo tempo em que permite o fechamento das válvulas. O diâmetro da veia é reduzido, restaurando assim o fluxo sanguíneo para seu estado normal e auxiliando a circulação geral.

sexta-feira, 8 de julho de 2016

Cuidados que devemos ter com a trombose

Fatores de risco para TVP


  1. Histórico de TVP prévio ou de trombose venosa superficial
  2. Permanecer sentado por tempo prolongado ou mobilidade restrita, como no caso de viagens de longa distância
  3. Idade acima de 40 anos
  4. Cirurgia (especialmente ortopédica) ou lesão grave
  5. Repouso ou imobilidade prolongada
  6. Hipertensão
  7. Infarto ou derrame
  8. Insuficiência cardíaca congestiva
  9. Insuficiência respiratória crônica
  10. Sobrepeso
  11. Sedentarismo
  12. Tabagismo
  13. Veias varicosas
  14. Altos níveis de estrogênio, como na gravidez ou com o uso de pílulas anticoncepcionais
  15. Algumas formas de câncer

Os fatores de risco são cumulativos – quanto mais se tem, maior o risco.

O que é a SBACV e o que ela fala sobre a Trombose Venosa Profunda

A Sociedade Brasileira de Angiologia e de Cirurgia Vascular (SBACV) é uma federação de sociedades regionais, considerada de utilidade pública.

A Trombose Venosa Profunda (TVP), conhecida como flebite ou tromboflebite profunda, é a doença causada pela coagulação do sangue no interior das veias - vasos sanguíneos que levam o sangue de volta ao coração - em um local ou momento não adequados (devemos lembrar que a coagulação é um mecanismo de defesa do organismo). As veias mais comumente acometidas são as dos membros inferiores (cerca de 90% dos casos). Os sintomas mais comuns são a inchação e a dor.

É uma patologia mais frequente em pessoas portadoras de certas condições predisponentes - uso de anticoncepcionais ou tratamento hormonal, tabagismo, presença de varizes, pacientes com insuficiência cardíaca, tumores malignos, obesidade ou a história prévia de trombose venosa.

quinta-feira, 30 de junho de 2016

Estilo de vida

O estilo de vida pode influenciar diversos aspectos da vida do ser humano, quando existe uma predisposição a alguns tipos de doenças temos que ter mais cuidados!!

"Estilo de Vida" é um conceito amplo que inclui a pessoa como um todo, e que tem muitos aspectos. Os aspectos do estilo de vida se combinam para influenciar a saúde individual em todas as áreas: Física, Mental, Espiritual e Social.

quinta-feira, 23 de junho de 2016

Qualidade de vida e Trombose

O que nós podemos fazer?
É possível ter qualidade de vida convivendo com a trombose?


A TVP compromete significativamente a qualidade de vida. A dor no local impede que a pessoa exerça suas atividades diárias e requer longos períodos de repouso. Além disso, se não tratada adequadamente, pode-se desenvolver úlcera na perna, entre outras complicações.

"A presença de uma ulceração crônica na perna tem grande influência negativa na qualidade de vida dessas pessoas. Além de causar dor e desconforto diários, há dificuldade na manutenção do emprego, na convivência de seu portador não só com seus familiares como com seus amigos, pois geralmente essas lesões eliminam secreção que muitas vezes exala odores próprios", aponta Marilia Duarte Brandão Panico, professora de Angiologia da Faculdade de Ciências Médicas da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ).

quinta-feira, 16 de junho de 2016

Trombose venosa profunda atinge especialmente as pessoas mais jovens

De repente, a perna fica quente, inchada, rígida e dolorida, e a pessoa não consegue andar ou realizar suas tarefas rotineiras. Sinais alarmantes para uma pessoa saudável. Essas são algumas das manifestações da trombose venosa profunda, terceira doença cardiovascular mais frequente no mundo. Com alta taxa de mortalidade, o problema compromete significativamente a qualidade de vida, sendo que grande parte das pessoas que desenvolvem a doença é formada por jovens.

A TVP ocorre quando se forma um coágulo sanguíneo (o trombo) no interior das artérias ou veias profundas, obstruindo a veia e impedindo a circulação de sangue no local. Ela ocorre mais frequentemente na perna ou na coxa, mas também pode atingir outras partes do corpo.

quinta-feira, 9 de junho de 2016

Anticoncepcionais e trombose

Você sabia que a Pílula anticoncepcional mais moderna quadruplica risco de trombose? 

Um estudo publicado pelo British Medical Journal analisou a ação de diferentes tipos de progesterona – um dos hormônios presentes nas pílulas – na ocorrência de trombose. Os pesquisadores analisaram dois bancos de dados médicos de mulheres com idade entre 15 e 49 anos com trombose prévia entre 2001 e 2013. Ao todo foram analisados 10562 casos de trombose.

A trombose pode causar entupimento de vasos sanguíneos.

Depois de ajustar outros fatores de risco, como tabagismo, consumo de álcool e índice de massa corporal, os pesquisadores notaram que os anticoncepcionais mais novos apresentam riscos maiores de trombose e suas consequências, como o AVC (Acidente Vascular Encefálico).

quinta-feira, 2 de junho de 2016

O que eu preciso saber sobre trombose venosa profunda (TVP)?

A trombose venosa, por definição, é a presença de um coágulo dentro de uma veia. Pode ser superficial, quando o coágulo está em uma veia no subcutâneo (embaixo da pele) ou profunda quando a veia acometida está no meio dos músculos das pernas ou dentro da barriga. O local profundo mais acometido são as pernas e o superficial os braços. Estima-se que cerca de 180.000 novos casos de trombose venosa surgem no Brasil a cada ano.

A formação deste coágulo dentro da veia ocorre por alguns fatores como lesão endotelial (da parede interna da veia), dificuldade do sangue circular (estase) e, o aumento da viscosidade sanguínea (sangue mais grosso). Vários fatores podem estar envolvidos para que estas alterações ocorram, as quais descreveremos a seguir.